Além do nosso blog, você poderá encontrar o Sonora Aurora no grupo do LastFM e no Facebook.


Michael Blake - Kingdom of Champa
Postado por Thiago Miotto em quarta-feira, 10 de dezembro de 2008.
1. The Champa Theme
2. Dislocated in Natrang
3. Folksong
4. Purple City
5. Mekong
6. Hue Is Hue?
7. Perfume River

DOWNLOAD
Vietnam is a mystical and strange place. After centuries of rule by Chinese, French, and Americans, the Vietnamese have become an independent nation and the people have begun to rebuild their lives. The spirit, beauty and hardship of these people would be the foundation for a suite of music I call Champa. To a certain extent this documentation of my experience living with my wife and her family in Vietnam is a metaphor of a journey into the self. In this place I encountered an infinite sadness that forced me to reevaluate many ideals I had established and conditionally accepted. It also brought great joy to me and an opportunity to realize my potential. My mind and soul were awakened by the extremes of the culture, no matter how I resisted to adapt to it. (Michael Blake, 1997)

Michael Blake é um multi-instrumentista e compositor que, a meu ver, faz parte dos novos espaços apontados pela música moderna, um ponto onde já não faz sentido reduzir-se a estilos, a tradição e inovação, a Oriente ou Ocidente.

Neste álbum há uma abrangência bastante vasta da música instrumental de várias abordagens e tradições de várias partes do mundo. Percebe-se uma convivência harmoniosa de elementos do Jazz moderno e do Moderno Erudito colaborando na elaboração de temas que flertam com o folclórico, o que garante músicas muito bem trabalhadas, expressivas e completamente ímpares umas em relação as outras.

Em alguns momentos se visualiza um forte e tecnicamente simplório apelo lírico, em outros existem abstrações e estruturas microtonais e contrapontísticas já não tão fáceis de delinear, e em certas partes do álbum existe uma fusão muito peculiar entre ambos, com texturas se entrecortando sem que existam quebras bruscas.

Enfim, em resumo: indico este álbum para os que querem conhecer um apontar de rumos da "Nova Música", sem deixar de lado as contribuções das antigas tradições e inovações pelo qual a Música passou ao longo do tempo, criando uma síntese bastante peculiar e prazerosa de ouvir.

Músicos participantes:

Michael Blake (tenor & soprano saxophones, bass clarinet); Steve Bernstein (trumpet, cornet, slide trumpet); Thomas Chapin (flute, bass flute, piccolo, baritone saxophone); Marcus Rojas (tuba); Rufus Cappadocia (cello); Bryan Carrott; (vibraphone); David Tronzo (slide guitar); Tony Scherr (acoustic & electric basses, moonlute); Scott Neumann (drums); Billy Martin (percussion)

Marcadores: