Além do nosso blog, você poderá encontrar o Sonora Aurora no grupo do LastFM e no Facebook.


Um pouco da música brasileira - Parte I
Postado por Thiago Miotto em quinta-feira, 5 de agosto de 2010.


Devido à "política de boa vizinhança" com os Estados Unidos a que o Brasil se submeteu, muito antes da velocidade e facilidade das comunicações que temos hoje o país já importava a cultura norte-americana, o que contribuiu para o abandono das tradições brasileiras e o desconhecimento da música do país pelo próprio povo que nele vive, massacrado pela mídia de massa e pela promessa do "estilo de vida americano".

Assim, ao longo dos anos se visualizou pouco a pouco uma mudança em termos funcionais e estruturais na música brasileira. Se antes se dançava ao som do Samba, do Frevo e do Baião, aos poucos arranjos orquestrais ao estilo big band começaram a tomar antigos espaços e horários dedicados à música brasileira.

Em termos de "exportação", a mídia fonográfica brasileira desde aquela época manda geralmente o que está longe de participar do que há de mais genuíno em termos de tradição na música brasileira, muitas vezes exportando antes o que lhes parece mais próximo em relação às tradições de outros países. A primeira apresentação de bossa nova que chegou no Carnigie Hall, por exemplo, trazia no ingresso o nome "Brazilian jazz", o que demonstra, além de uma clara jogada de marketing, a representação e a pesada influência de tradições norte-americanas na música produzida no Brasil após a "política de boa vizinhança".

Longe das tão faladas MPB (música popular brasileira) e Bossa Nova, que em geral são músicas em formato de canção com estruturas harmônicas tonais derivadas da antiga música européia ou do antigo jazz norte-americano, com um formato rítmico "abrasileirado" ou calcados na "birritmia" (termo de José Ramos Tinhorão) característica de João Gilberto, o Brasil possui, sim, ampla riqueza e variedade em tradições.

No presente post se visualiza algumas produções em que flertam tradição e modernidade, ponto esse em que o artista, consciente da estrutura musical das tradições de uma região, visualizando novos caminhos, expande e traz novos elementos à música já produzida há muito. Nos álbuns que seguem vocês ouvirão estilos brasileiros como Choro, Samba, Baião e Forró, ora misturados, ora diluídos numa nova proposta, ora quase irreconhecíveis em meio a contraponto, improvisações ou estéticas nascidas no exterior.

Todos os músicos abaixo, apesar de não terem o devido reconhecimento no Brasil, são de grande importância para a música brasileira, fazendo música para o mundo a partir (e não só) da releitura de suas tradições. Assim, peço que todos pesquisem por conta onde se inserem esses homens, do contrário a postagem ficaria imensa.

Egberto Gismonti Group - Música de Sobrevivência (1993)

Hermeto Pascoal - discografia sendo disponibilizada*

Paulo Moura - Confusão Urbana, Suburbana e Rural (1976)

Obs.: tirando o link para o Hermeto, todos os outros álbuns foram retirados do blog Br-Instrumental.

Boa audição a todos.

*Hermeto Pascoal está aos poucos disponibilizando gratuitamente sua discografia no site oficial que consta no link.

Marcadores: , ,