Além do nosso blog, você poderá encontrar o Sonora Aurora no grupo do LastFM e no Facebook.


Alfred Schnittke - Concerto for Choir
Postado por Andre Carvalho em quinta-feira, 24 de janeiro de 2013.


















"A meu ver, meu objetivo principal não é criar música e sim ouvi-la. É uma questão de não atrapalhar meus ouvidos na medida em que eles ouvem o mundo lá fora. O mundo entoado por um compositor existe, de alguma forma, fora dele e cabe ao compositor estabelecer este contato com mais ou menos sucesso (...) Eu não sou resultado, sou meramente um instrumento; através de mim algo lá fora se torna audível"
 Alfred Schnittke, 1988








A Armênia foi o primeiro país do mundo a adotar o cristianismo como religião oficial, antes mesmo da fundação de Constantinopla em 330. O monge Grígor Narekatsi era o líder da bem sucedida escola armênia de misticismo, residida em Narek, um pequeno monastério nas montanhas onde se refugiavam os armênios vítimas da intolerância bizantina. Neste monastério, Grígor escreveu seu livro Das canções de desolação (ou Livro das lamentações) à pedido da sua própria irmandade religiosa com o fim de responder a uma questão quase incapaz de ser pensada ou ponderada: "O que podemos oferecer a Deus, nosso Criador, Aquele que já possui tudo e que já conhece tudo?". Estudando profundamente os evangelhos, salmos e profecias, Narekatsi chegou a esta simples e humilde resposta: "os suspiros de nossos corações". O total destas orações somam 95; Schnittke dividiu seu concerto em 4 movimentos sobre os temas principais abordados na obra do poeta armênio. Ó Senhor de todas as coisas fala sobre o louvor entusiasmado; Eu, uma autoridade em paixões humanas é dirigido para aqueles os quais mais se lamentam; Deus, permita-me libertar-me dos pecados trata de quem realmente compreende a essência das palavras; e o último movimento, Finalize o trabalho que comecei, é uma súplica do humilde poeta o qual pede forças a Deus para que Este complete as orações iniciadas, um sentimento talvez parecido, igualmente presente na pergunta "Pai, por que me abandonaste?", fica quase claro o desespero, a necessidade de ser ouvido, a necessidade de acreditar que todas as mazelas e injustiças do mundo encontrarão respostas e explicações além do momento final onde nossos olhos se fecharão e nossa consciência não mais enxergará luz, onde os injustiçados se encontrarão redimidos de tudo quanto os assolou, pode-se realmente crer nisso (não creio), contudo, a simples indagação ou possibilidade (e existe possibilidade visto ser a fé um salto no escuro) de que nada disso, nem o mal será redimido nem os injustiçados serão recompensados, já pode colocar em desassossego e agonia a alma de qualquer pessoa, mesmo uma a qual crê fielmente.


As informações como traduções dos nomes das orações, bem como a origem destas, foram retiradas da biografia 'Shnittke: música para todos os tempos', sendo altamente recomendada tanto para quem conhece e gosta do autor, como para quem quer de alguma forma ter contato com uma das grandes personalidades do séc. XX, sem dúvida uma das mais fascinantes. Devo agradecer ao meu amigo Henrique, que com o seu seminário sobre Horkheimer e Adorno acerca da religião, me inspirou sobre alguns comentários e principalmente a publicar o post.







Conductor: Valery Poliansky
The URSS Ministry of Culture Chamber Choir
Recorded at St. Sophia Cathedral of Polotsk
1988


1º Movimento: O Povelitel (Ó Senhor de todas as coisas)
2º Movimento: Sobranje Pesen Sih (Eu, uma autoridade em paixões humanas)
3º Movimento: Vsem tem kto vniknet (Deus, permita-me libertar-me dos pecados)
4º Movimento: Sej Trud (Complete este trabalho)



FLAC | 196 MB
Mediafire
FileFactory

320 kbps | 97 MB
Mediafire
FileFactory

Marcadores: